Quem é?

Tiago Rodrigues


Desenvolvedor, Gerente de eCommerce, Digital Marketer. Apesar de mostrar apenas as três principais áreas de atuação eu posso fazer muito mais por você.

Aficionado por conhecimento de todas as áreas. Trabalho e estudo diariamente para melhorar minha performance e poder oferecer mais retorno para todos meus clientes.

Entenda o que me move



Música e um copo de café.

Eu sou o meu próprio chefe. No cargo de chefia sou o mais rígido e levo ao extremo quando se trata de qualidade e performance. Não aceito que meu eu entregue nada de qualidade inferior ao meu atual nível de conhecimento nem passe 2 meses pra entregar um serviço de 2 horas.

Se eu disser que faço, eu faço.

Sou movido pelo desafio do desconhecido, pelo desafio de aprender o que é novo e realizar descobertas. Meu prazer é enorme quando realizo um trabalho e vejo o resultado rodando, 100% perfeito e com o cliente dizendo já? Que FANTÁSTICO!

Acho difícil alguém ainda estar lendo isso, mas se estiver dá uma olhada abaixo que minha caneta tá trampando mais que a dos guardinha dando multa.

Ao som de Rashid: Música de Guerra
1O início

Conheci um PC pela primeira vez ainda quando pequeno, meus pais haviam comprado um COMPAQ que tinha custado uma nota preta e eles provavelmente devem ter parcelado em 60 meses. Pra época ter um PC era sinônimo de ter excelente condição de vida, mas minha mãe, estudando para seu doutorado, precisava de toda e qualquer forma e comprou, mesmo que não tivesse o dinheiro.

Como eu falei, eu apenas "conheci", pois usar de verdade...ih...o máximo que a gente usava era pra jogar "Show do Milhão" que tinha vindo junto com o PC e a gente esperava o nosso pai chegar pra ficar monitorando o uso. Com alguns minutos e respostas erradas a gente já tinha estourado a cota do uso e da energia (os estabilizadores eram monstruosos na época).

Não vi isso como limitação, pelo contrário, era uma sorte absurda ter aquela máquina DENTRO de casa, mesmo sem poder usá-la. Então eu sempre usava na escola (sim, também tive acesso na escola) e ficava espantado com o iMac na época que era o mesmo que hoje vejo no filme de Jobs e digo "olha, o pc que eu usava quando era menino"

O que eu aprendi na escola ao longo do tempo (não muito) já havia sido suficiente pra me encantar até hoje. O potencial daquela máquina. Era incrível. Em pouco tempo comecei a juntar cada centavo que eu conseguia vendendo bugigangas, balas e cartas na escola e ia pra lan-house passar algumas horas na internet. Era a época do IRC, Fotolog, blogs, tudo bem rudimentar, mas avançava a passos largos e quem não tivesse em contato direto não conseguia acompanhar, não muito diferente de como é hoje, mas na época o acesso a informação era bem mais complicado.

Em poucos anos eu já estava dominando tudo que era possível na internet, modificando blogs via HTML e CSS e descobrindo algumas brechas em sites (na época qualquer um com tempo e boa imaginação achava um campo fértil para estudo em segurança da informação).

O próximo passo foi aprender o que movia aquilo que eu visualizava em um monitor e eu fiz isso da pior forma possível. Dei um prejuízo na conta de internet de 300 reais. Na época o salário mínimo era algo em torno de 400 reais. Fiquei de castigo, não poderia usar o PC até o fim do ano (ainda estava no comecinho, abril ou maio se não me engano). Pouco tempo depois esse PC quebrou e minha mãe chegou em casa com o PC novo (usado). Ela foi em minha direção e disse "taí o PC velho. Quebrou, então se quiser voltar a usar ajeite."

Mãe e Pai, obrigado. Foi o melhor castigo que recebi. Passei meses trancado no quarto com uma apostila xerocada que tinha na capa MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES e uma explicação horrível, mas suficiente para me fazer ler em poucos dias.

Li várias vezes. Mexi tanto naquele PC que ele deve se lembrar até hoje de mim, mas depois de 2 meses eu tinha descoberto o problema do PC. Falta de borracha. Bastava passar uma borracha nos conectores da memória RAM e o computador ligaria. E ligou.

Eu me senti um gênio e agora tinha meu PC.

Não foi bem como esperado. Não fiquei com o PC, pois precisava de tela, teclado, mouse e estabilizador e tudo isso custava muito caro. Vendi o PC, fiquei com o dinheiro e o castigo foi cancelado. Bora viver?

2A sequência

Já no ensino médio aprofundei meu conhecimento em desenvolvimento web, conheci novas linguagens, procurei sempre novas formas de conhecimento. Apesar disso, essa não era a forma que eu ganhava dinheiro.

Como eu havia aprendido os pormenores sobre manutenção de computadores, aproveitei do preço caro do mercado e comecei a consertar PC's de pessoas conhecidas por preços baixíssimos, mas que pra mim se tornaram a minha renda. O boca a boca me levou longe. Eu conseguia consertar a maioria dos problemas sem fazer com que o cliente gastasse nada com peça, diferente da maioria dos técnicos que já iam pensando em como vender novas peças. Pra eles esse era o modelo de negócio de sucesso, mas pra mim, sem condição de comprar peças de antemão pra fazer isso, criei um novo modelo onde o cliente ficaria satisfeito por não ter que comprar e provavelmente iria me recomendar pra alguém. Foi aí que ganhei proporção.

Eu estudava de manhã e consertava PC's de tarde. Era raro um dia que não tivesse algum serviço pois o pessoal sempre me ligava dizendo "Tiago, chamei um técnico e ele disse que eu precisava comprar um negócio de 400 reais, aí o fulano me disse que eu falasse contigo, tem com tu ver aqui o meu PC?"

Assim eu ficava conhecido, eu era o técnico que não tentava vender as peças, só em último caso, mas eu sempre dizia qual era a peça e o cliente mesmo procuraria o mais barato, eu não vendia.

Aprendi a vender quando eu não tinha o que vender.

Durante muito tempo eu ia ganhando dinheiro assim e aprendendo mais sobre WEB por conta própria, até que entrei na faculdade de Administração (bem longe da Computação) e aprendi bastante sobre o mundo dos negócios, mas não me senti 100% confortável ali. Eu queria sim ir pra minha área e já achava que tinha consumido o suficiente de Administração...desta forma transferi minha matrícula da UFC para a FFB em Ciência da Computação.

Começou tudo bem. Eu era um aluno exemplar! As maiores notas em todas as cadeiras, sem exagero. Em uma das cadeiras, Cálculo, eu estava tão aplicado que não precisei nem fazer a prova pois já tinha nota 10 acumulado em pontos de desafios que o professor passava em sala e eu realizava todos. Em outra cadeira eu realizei alteração em um software usado no ensino por um professor e esse novo programa adaptado ao ensino foi utilizado por tempos futuros - tempos depois entrei na sala para saudar o professor e ele se levantou e me apresentou à turma "olha pessoal, esse é o Tiago, ele que desenvolveu essa versão do software que a gente usa."...Obrigado Maikol Rodrigues pelo reconhecimento. - e que até hoje está online e rodando em Blog do ILA

Infelizmente passei por um período complicado na vida, tropecei em uma pedra e minha vida mudou do vinho pra água até eu conseguir mudar da água pro vinho de novo. Nesse período eu simplesmente tive oportunidades fantásticas, mas desperdicei todas pois não conseguia me estabilizar emocionalmente, sem vergonha de dizer, pois infelizmente esses problemas já me afetavam fisicamente.

Foi aqui que entrei em um estado de autoavaliação profunda
3A maior venda até hoje

Mesmo com todos os problemas eu estava trabalhando em uma das agências que mais cresciam na cidade, ao lado dos maiores nomes hoje em Marketing Digital e SEO. Essas pessoas tiveram sucesso na missão, essas pessoas me inspiraram. Duas delas foram o Natanael Oliveira e a Iaponira Darc, fundadores da agência, e o outro foi meu amigo que me apresentou à agência, Vicente Sampaio.

A essência das vendas foi essencial nessa experiência

-Tiago, você já mexeu em WordPress? Sabe trabalhar com ele?
-Já mexi, mas não tenho grande experiência.
-Certo, mas aqui a gente trabalha rápido. Se eu te passar um site pra fazer, quanto tempo tu leva pra colocar no ar pro cliente?
-Eu posso não saber, mas eu descubro como e coloco no ar em menos de 15 dias.
-15 dias (risos) Gostei!

Assim eu comecei a trabalhar na área que amo hoje, sem experiência, mas com uma oportunidade e eu iria agarrar aquela oportunidade com unhas e dentes.
4A caminhada

Todos ao meu redor cresceram e eu estava estagnado. Eu via as oportunidades irem embora dia após dia.

A fonte do meu bloqueio era eu mesmo. Simples.

Tive chances de crescer, mas eu ainda não estava preparado e, de certa forma, isso foi bom. Foram 3 anos de aprendizagem e luta diária pra entender os meus maiores vilões que impediam o meu crescimento. Entre acertos e tropeços, eu seguia me movendo.

Em 2015 recebi uma ligação de um amigo de infância, Igor Dantas, ele não sabia que eu estava em péssimas condições. Ele me perguntou se eu ainda trabalhava com sites, eu respondi que sim (estava só fazendo bicos pois Natanael e Iaponira já estavam em São Paulo, a empresa foi junto e eu fiz de mim mesmo dispensável por falta de visão) e ele perguntou se tinha como eu dar uma olhada no E-Commerce da empresa dele pois havia 8 meses que ele tinha investido 12 mil para desenvolver a loja além de pagar mensalmente para um gerente de AdWords (eu nunca havia trabalhado com Ads antes) e nunca tinha vendido nenhuma peça. Eu aceitei.

Em poucos minutos eu mostrei o problema - não importava quantos usuários ele tivesse recebido, o site estava com um bug no checkout e simplesmente ninguém iria conseguir finalizar a compra, por mais que quisesse. Resolvi o problema em 15 minutos, ganhei a confiança e fui convidado pra prestar consultoria pra empresa. Desde então foram milhares de mudanças e aprimoramentos, no início a maioria era diretamente na área que eu tinha experiência, desenvolvimento. Refiz toda a loja, restruturei os servidores e fiz a loja rodar de verdade. Se os resultados apareceram? Sim, mas não o suficiente para deixar nenhum empresário satisfeito. Então fui convocado para comandar a área que eu já tinha passado perto, marketing, mas nunca havia estudado a fundo, principalmente para E-Commerce. Eu, novamente, aceitei.

Aqui começou a jornada de aprendizado. Dediquei-me à empresa que havia me dado uma chance e, mesmo durante tempos difíceis nesse período, não abriu mão, pelo contrário, apoiou e estendeu a mão.

Foi nessa caminhada que eu consegui organizar minha mente e nessa organização eu consegui reconhecer meus defeitos e virtudes. Ambos são parte de mim, mas hoje faço as virtudes serem mais relevantes e os defeitos uma nova forma de aprendizagem.

5Hoje

É o que eu digo e faço, não suponho.
Sou milionário do sonho.

Ninguém vai me parar. Farei o que tiver que ser feito para tirar meus sonhos da caixola. Nessa caminhada eu não esqueci de quem me ajudou, como eu cheguei aqui e quais foram minhas dificuldades. Por isso o meu primeiro projeto foi pra ajudar a quem não encontrou ainda o quem, nem sabe como e só consegue enxergar as dificuldades.

Se quiser saber mais sobre o projeto social e apoiar a causa visite a aba Projetos.

Foi um prazer escrever tudo isso. Foi um exercício de reconhecimento impressionante e necessário. Espero que tenha sido útil para você conhecer um pouco sobre mim.

Tiago Rodrigues

Buy now